Arquivo de abril, 2007

Humor de Primeira

Publicado: 30/04/2007 em Humor, Internet, Nonsense, Pessoal

Dizem as más línguas que nossos irmãos luzitanos são inferiores. Mas isso não é verdade. Lá na “terrinha” tem humor inteligente e muito bem produzido. Portanto, se você não conhece, apresento-lhe o Gato Fedorento, um grupo formado por quatro marmanjos a mexer com toda a sociedade portuguesa e principalmente os políticos portugueses. É show de bola, confira!

Ora pois?! Onde estão os Castigadores da Parvoice? =D

Agora vai!

Publicado: 28/04/2007 em Alfinetadas, Humor, Pessoal, Política

Depois de tanto tempo sem postar, vai uma cópia descarada de uma charge do Jean retirada “descaradamente” do meu blog vizinho Dois dedos de Prosa. Chore!

Maioridade aos 16! E com direito celular!

Esse artigo é para aqueles que trabalham com WebDesign ou estão iniciando na programação no Mac e ainda não se aventuraram em projetos com a utilização de softwares gerenciadores de bancos de dados como o MySQL, conhecidíssimo e muito usado pelos linuxers ou o utilizam em seus projetos e gostariam de um SGBD mais robusto, como o PostgreSQL.

Para efeito de copyright estou me baseando no tutorial PostgreSQL on MacOS X, disponível em inglês na página da Apple Inc.. Lembrando que estou usando softwares disponíveis para o Mac OS X na plataforma Intel.

Sem mais delongas, vamos ao que realmente interessa:

Se você ainda não usa o Fink, um gerenciador de downloads de softwares portados de várias plataformas para o Mac (corrijam-me os veteranos se eu estiver errado), vamos instalar ele primeiro para depois prosseguir com a instalação do PostgreSQL.

Instalando o Fink
1. Acesse a página de download do Fink e baixe a última versão disponível. No meu caso foi o Fink 0.8.1 Binary Installer (Intel), que pesa aproximadamente 15 MB.
2. Depois que o download estiver concluído, abra o arquivo Fink-0.8.1-Intel-Installer.dmg e dê um duplo-clique no arquivo de pacote chamado Fink 0.8.1-Intel Installer.pkg.
3. Depois de responder algumas perguntinhas de praxe o Fink estará pronto para instalar.
4. Confirme a instalação e pronto. Finished!
5. Abra o Terminal e na linha de comando digite:

fink scanpackages; fink index

para atualizar a lista de pacotes de programas que o Fink pode instalar automaticamente.
6. Pronto! O Fink está instalado no seu Mac.

Instalando o PostgreSQL
1. Antes de instalar o PostgreSQL você vai precisar instalar um pacote chamado readline e o modo mais fácil de instalar é como? Usando o Fink, certo?!
Abra o Terminal e digite a seguinte linha:

zehrique@producao:~> sudo /sw/bin/fink install readline

2. Você pode instalar um port do PostgreSQL usando o Fink, mas a Apple não recomenda esse método, porém eles deixaram uma pequena dica de como instalar o SGDB “na mão”.
Mais uma vez você vai ter de abrir o Terminal e seguir o procedimento abaixo:

zehrique@producao:~> cd /usr/local/src
zehrique@producao:src> sudo sh
Password:
root@producao:src> mkdir postgres
root@producao:src> cd postgres
root@producao:postgres> curl -O ftp://ftp2.br.postgresql.org/postgresql/source/v8.2.3/postgresql-8.2.3.tar.gz
root@producao:postgres> tar -xzvf postgresql-8.2.3.tar.gz
root@producao:postgres> cd postgresql-8.2.3

3. Agora que você tem o código fonte, você pode executar os scripts de configuração, compilação e instalação. Mas já que instalamos o readline pelo Fink, vamos adicionar os diretórios dele como argumentos para o script de configuração:

root@producao:postgresql-8.2.3> ./configure --with-includes=/sw/include/ --with-libraries=/sw/lib
root@producao:postgresql-8.2.3> make
root@producao:postgresql-8.2.3> make install

4. Depois desses passos, você deve criar um usuário comum chamado postgres que é quem terá domínio completo sobre o banco de dados. Após criá-lo, mais uma vez abra o Terminal e faça o seguinte:

root@producao:~> mkdir /usr/local/pgsql/data
root@producao:~> chown postgres /usr/local/pgsql/data

5. Faça o login com o usuário postgres e inicialize o banco de dados, como a seguir:

root@producao:~> su -l postgres
postgres@producao:~> /usr/local/pgsql/bin/initdb -D /usr/local/pgsql/data

6. Para simplificar a execução de programas do PostgreSQL, você pode setar a variável de ambiente PATH para o caminho onde eles se encontram:

postgres@producao:~> export PATH=$PATH:/usr/local/pgsql/bin

7. Se você quiser que a alteração à variável PATH seja permanente, crie um arquivo chamado .tcsh no diretório de início de qualquer usuário (se você estiver usando o shell default do Mac OS X, que é o tcsh), e adicione as seguintes linhas:

setenv PGDATA /usr/local/pgsql/data
setenv PATH ${PATH}:/usr/local/pgsql/bin

Lembrando que a variável PGDATA servirá para indicar ao servidor do PostgreSQL em qual diretório residem os dados.
8. Pronto! Agora você pode iniciar o servidor do PostgreSQL:

postgres@producao> /usr/local/pgsql/bin/pg_ctl -D /usr/local/pgsql/data -l logfile start

Uma vez que o servidor está ativo, crie um banco de dados chamado teste para brincarmos um pouco:

postgres@producao> createdb teste

Você pode usar o programa psql para abrir o banco de dados recém criado e executar comandos SQL diretamente:

postgres@mail> psql teste

Crie uma tabela chamada amigos e insira alguns nomes nela, como a seguir:

teste=# create table amigos (nome varchar primary key, amigos_id serial);
NOTICE: CREATE TABLE will create implicit sequence 'amigos_amigos_id_seq' for
NOTICE: CREATE TABLE / PRIMARY KEY will create implicit index "amigos_pkey" for table "amigos"
CREATE TABLE


test=# insert into amigos (nome) values ('Julia');
INSERT 0 1
test=# insert into amigos (nome) values ('Marcelo');
INSERT 0 1


teste=# select * from amigos;
nome | amigos_id
---------+-----------
Julia | 1
Marcelo | 2
(2 rows)

Para esta primeira parte do artigo já fizemos bastante coisa. Tente você mesmo criar outras tabelas com mais dados utilizando o programa psql ou baixe o programa pgAdmin III, um front-end para o PostgreSQL que pode ajudá-lo na criação de novos bancos de dados, tabelas, índices, etc… e na manutenção do dia-a-dia.

Um abraço e até a parte 2.